sábado, 24 jun 2017
Administração

Para a luz

Existem regressões e regressões, tem aquelas com flashes curtos, quase como pedaços de um filme antigo, outras em que nos sentimos completamente dentro do personagem, algumas ainda nos surgem como uma história para a que todas as perguntas tem respostas, mas outras são únicas; seja pela intensidade emocional que as acompanha, seja pela forma de como nosso ser se introjeta naquela situação que um dia lhe aconteceu. Essa é uma dessas estórias, a qual vou lhes contar com muito prazer e que é continuação de outra, chamada de “Selvagem”.

Estava eu fazendo terapia já a algum tempo, habituado ao processo, quando em uma das sessões me ocorreram lembranças de uma época que senti ser muito, muito antiga. A impressão que tive foi a de um lugar muito árido, quente e abafado, onde tudo tinha tonsumbral avermelhados, encarpado, como se fosse o fundo de um abismo. Aquilo não era na Terra, parecia um mundo subterrâneo e infernal. Tinham pessoas lá, nuas, amontoadas, formando verdadeiros novelos de gente. Aqueles seres estavam imantados ao chão por uma força desconhecida, sem que suas forças as possibilitassem de levantar. Eu me senti assim também, era um daqueles seres; um enorme sofrimento envolvia a todos nós, a maioria sem entender porque sofria, e isto piorava tudo. Estar em um lugar onde a noção de tempo não existia, onde todos pareciam estar ali a uma eternidade, sem saber o exato motivo era muito doloroso, Era uma dor de desesperança e de desencanto, como se o sentido de tudo fosse apenas o sofrer profunda e irremediavelmente. Pude experimentar isso tudo enquanto as lembranças me ocorriam.

Ao pedido do terapeuta voltei no tempo, à época em que ainda estava no plano terrestre, vivendo como um homem. Era um ser brutalizado, animalesco, grande e peludo, que  vivia entre estepes e montanhas de um lugar frio e selvagem, num período que antecedeu a nossa civilização. Duas tribos estavam lutando ali, eram homens vestindo peles e armas rústicas feitas de madeira, pedra e couro, eu liderava um daqueles grupos que viviam de lutar e saquear uns aos outros. Vivi uma vida de ódio, saques e selvageria, onde buscava apenas saciar minhas necessidades cruelmente, movido pela tônica de que todos mereciam apenas a dor e o sofrimento e que ninguém merecia viver. Como o ódio era o sentimento que me comandava a vida foi bem natural entendi que após morrer em batalha fosse transladado a um plano compatível com meus sentimentos e pensamentos. Era aquele abismo infernal. Enquanto estive naquele abismo éramos visitados por pessoas mais evoluídas, verdadeiros “espíritos de luz” que tentavam, sem muito resultado, nos esclarecer e nos ajudar, mas era difícil, pois nossa ignorância era tal que não conseguíamos entender o que diziam em suas lições.

Após um longo período finalmente passei a entender algumas coisas que eles ensinavam e consegui enxergar a luz em meio aquela escuridão. Ela apareceu para mim como um grande cone luminoso de uma luz branca, forte e agradável, que parecia me abraçar; interessante que bem ao fundo daquela luz percebi uma figura feminina, era como se a luz fosse seu amor que se derramava sobre mim. Fui invadido por uma sensação de júbilo e alegria indescritíveis. Vi-me de fora do corpo, assistindo aquela cena como ocorrera milênios atrás e que sentia agora como se fosse no presente. Levantei-me do chão, banhado de luz, agora transfigurado num homem de proporções harmoniosas, nu, sem nenhum pêlo no corpo, completamente careca, olhando para cima, embevecido com tudo aquilo que estava ocorrendo. A sensação que tive foi indescritível, meu corpo tremia na poltrona, era como se fosse inundado por umahomem na luz energia que não cabia em mim e não conseguisse ser manifestada pela pobreza e fragilidade da matéria que me abrigava o espírito.

Nesse momento de libertação pude entender o que significava Deus, e sua grandiosidade. Ele é aquele que dá sem pedir nada em troca, que estende seu amor e sua mão a quem não tem nenhum merecimento, como era meu caso, e que ama seus filhos incondicionalmente sem notar seus erros. Após esse insight percebi que de dentro daquela luz estava sendo guiado por espíritos amigos para uma nova vida, uma nova encarnação, mas dessa vez tive certeza de que seria diferente, pois agora minha ignorância havia sido sanada e eu já conhecia Deus. Me senti entrando num túnel que girava, como um redemoinho, a caminho de uma nova existência, nesse momento me ocorreu um último pensamento: “Nada mais será como antes”, pois minha ignorância se foi para todo o sempre”.

 


 

ARQUIVO MORTO

AOS MEUS PACIENTES

Nos últimos 10 anos tive pacientes dos mais diferentes tipos no meu consultório: tive os agradáveis, os difíceis, os que queriam resolver logo sua vida, os que queriam apenas aliviar suas dores, aqueles que não sabiam o que queriam, os curiosos; alguns jovens, corajosos; anciãos às portas da morte, pacientes espiritualizados, céticos, cínicos, com fé demais, com fé de menos, "loucos varridos", pacientes divertidos, prepotentes, alguns amargos; todos de alguma forma doentes... de tudo: do corpo... da alma... do coração; mas todos com algo em comum, a necessidade de dividir suas dúvidas e angústias com alguém, de encontrar uma saída para suas dores e formas de acertar o que estava errado em suas vidas.

(clique aqui para ler na íntegra.)

VÍDEOS

YouTube responded to TubePress with an HTTP 410 - No longer available

CONSULTAS EM MANAUS