quarta-feira, 20 nov 2019
Administração

Mediunidade

Termo usado pelo Espiritismo se refere a capacidade que tem algumas pessoas de entrar em contato com entidades que seriam do plano espiritual, para muitos psicólogos e psiquiatras nada mais do que manifestações de alucinações visuais ou auditivas. A depender das crenças de cada um tanto pode ser um coisa como a outra, mas não se pode negar os feitos na psiquê que algumas dessas experiências causam em quem porventura passou pela experiência de ser atendido ou de receber uma mensagem do “além”.

Em minha experiência já tive contato com os dois aspectos das alterações que levam aquele nome, tanto na sua forma doentia, como nas psicoses, tanto como com pessoas sem patologias mentais ZqYaa6ABF0222relacionadas a isso, mas que também estavam passando por experiências ditas mediúnicas. O que assimilei com os anos de trabalho, em conjunto com minhas experiências pessoais com o Espiritismo, foi que não podemos taxar esse tipo de experiência como doentia, na verdade ela pode ser a manifestação de uma mente que para se manter saudável precisa disso.

Infelizmente aqueles que chamamos de médiuns são muitas vezes tratados e medicados como sendo SEMPRE psicóticos, seja por ignorância de pacientes e médicos ou pelo medo, muitas vezes característico das pessoas sobre tudo que se relacione ao sobrenatural. O resultado muitas vezes é o oposto do que se pretende, se patologiza um estado que poderia ser saudável para a pessoa, no contexto cultural e social em que vivem, aí se criam verdadeiros zumbis sedados à custa de muitos remédios de uso controlado e psicotrópicos.

É necessário que os profissionais dessa área compreendam o contexto complexo em que essas pessoas vivem e se relacionam, para que não se trate como doença o que pode ser algo que não gere disfunções nem sofrimentos desnecessários.

Related Posts with Thumbnails
Palavras-chave:, ,

 

ARQUIVO MORTO

AOS MEUS PACIENTES

Nos últimos 10 anos tive pacientes dos mais diferentes tipos no meu consultório: tive os agradáveis, os difíceis, os que queriam resolver logo sua vida, os que queriam apenas aliviar suas dores, aqueles que não sabiam o que queriam, os curiosos; alguns jovens, corajosos; anciãos às portas da morte, pacientes espiritualizados, céticos, cínicos, com fé demais, com fé de menos, "loucos varridos", pacientes divertidos, prepotentes, alguns amargos; todos de alguma forma doentes... de tudo: do corpo... da alma... do coração; mas todos com algo em comum, a necessidade de dividir suas dúvidas e angústias com alguém, de encontrar uma saída para suas dores e formas de acertar o que estava errado em suas vidas.

(clique aqui para ler na íntegra.)

CONSULTAS EM MANAUS