sábado, 21 set 2019
Administração

Crises

Todos temos crises, e muito se fala delas, crises financeiras, nacionais, mundiais, etc. No Brasil de hoje então esta palavra é a da vez, em virtude do quadro político e econômico que atravessa o país, estamos passando por uma crise, antes de mais nada moral e ética, que afeta a todos. Isto tem o poder de transformar a vida de muitos para pior, gerando angústias, sensação de impotência, depressão e uma série de outros transtornos psicológicos. O que nós não nos apercebemos é que as crises são fatos absolutamente normais em nossas vidas e dificilmente escaparemos delas, principalmente a nível pessoal. Os tormentos que afligem os seres humanos são tantos e de tantas formas que o normal é nos vermos em crises passageiras com relativa frequência, o que muda é sua intensidade, a sua dor.

O que chamamos crises tem a ver com sofrimento, mudanças bruscas de vida e de status, criando situações que geram tensões e exigem atitudes  por vezes fortes, para que as resolvamos, o que nem sempre temos disponibilidade ou mesmo habilidade para realizar. As crises geram grandes oportunidades de aprendizado e fortalecimento de qualidades enobrecedoras de nosso caráter, ou podem nos fazer mostrar o que temos de pior, depende de nosso grau de evolução e amadurecimento. Mas isso infelizmente nem sempre é percebido pelas pessoas, que veem nas crises apenas situações estressantes geradoras apenas de dor e tristeza.Caught in the Storm

Todo sofrimento traz em si o gérmen do desenvolvimento, do crescimento humano, o difícil é enxergar isso em meio ao caos emocional que ocorre normalmente nessas situações. Saber explora-las, tirar da dor alguma lição, crescer em sabedoria e tolerância quando frente à incompreensível dor de uma decepção, traição, perda ou morte não é fácil para ninguém, mas é nosso dever tentar, ou perecer, caso nos decidamos a fazer o oposto, nos abandonando ao desespero e à desilusão dos fracos e sem vontade, o que muitos, infelizmente fazem. Vejo isso no dia a dia nos tratamentos em meu consultório; enquanto muitos clientes reagem às perdas, outros se entregam a elas, deixando-se levar pela desilusão ou a simples apatia, decidindo não mais se mexer ou ter alguma atitude diferente, o que é muito triste e de péssimos resultados..

Muitos se preocupam em demasia e deixam seus corações e mentes ligados ao que seriam as crises do mundo, mas as piores crises tem pouco a ver com este; das mais profundas, as piores tem muito a ver com o mundo interior ou a vida mais íntima da pessoa, e não com o que acontece fora. Sua família, seus relacionamentos, seus amores, seu trabalho, todos são potencialmente geradores de conflitos e crises severas, frequentemente relegadas ao segundo plano na lista de prioridades humanas que os colocam logo atrás das conquistas materiais e do sucesso social que nunca parecem estar satisfeito o suficiente. Só na horam em que acontecem é que vão mostrar o seu valor, e aí as prioridades se invertem. Se soubéssemos priorizar o que realmente importa realmente saberíamos viver melhor e teríamos menos crises em nossas vidas. Vale a pena tentar.

Related Posts with Thumbnails
Palavras-chave:, ,

 

ARQUIVO MORTO

AOS MEUS PACIENTES

Nos últimos 10 anos tive pacientes dos mais diferentes tipos no meu consultório: tive os agradáveis, os difíceis, os que queriam resolver logo sua vida, os que queriam apenas aliviar suas dores, aqueles que não sabiam o que queriam, os curiosos; alguns jovens, corajosos; anciãos às portas da morte, pacientes espiritualizados, céticos, cínicos, com fé demais, com fé de menos, "loucos varridos", pacientes divertidos, prepotentes, alguns amargos; todos de alguma forma doentes... de tudo: do corpo... da alma... do coração; mas todos com algo em comum, a necessidade de dividir suas dúvidas e angústias com alguém, de encontrar uma saída para suas dores e formas de acertar o que estava errado em suas vidas.

(clique aqui para ler na íntegra.)

CONSULTAS EM MANAUS