terça-feira, 17 set 2019
Administração

Noutro plano

Em nossas várias vidas temos a oportunidade de viver em diversos planos, ou mundos, onde a materialidade e os corpos podem assumir formas das mais diversas. Isso inclusive já é motivo de várias hipóteses da Física moderna; o existir de várias dimensões no universo é mais do que uma conjectura,é um fato real comprovável. Porém não temos, ainda como verificar a existência de vida ou outras inteligências nestes planos extra-físicos, pelo menos não pelos meios habituais.

Muitas experiências são relatadas ao redor do globo de contatos, abduções e visitas, onde seres de outros planos entrariam em contato direto com os homens da Terra. Em um relato que ouvi de uma paciente regredida ontem podemos ter um vislumbre do que seria um tipo de existência dessas, em outro plano. A pergunta se este plano foi apenas criado pela sua imaginação, um lugar que existiu ou mesmo um resgate de seu inconsciente, que metaforicamente a levou a uma viagem rumo a um mundo interior guiada por aquele “ogro”, como em muitos contos mitológicos, vai ficar sem resposta, porque é impossível averiguarmos isto para o comprovarmos, mas é uma estória muito interessante, que até por suas peculiaridades merece ser conhecida.

M.F é uma psicóloga de meia idade, com vários problemas na vida, de relacionamentos, é depressiva, e de temperamento crítico e controlador, mas entre estes o que dia ser o pior é um temor, um medo irracional como se fosse ser ferida e isso lhe travou ao longo da vida para a realização afetiva, espiritual e profissional. Na sua sétima regressão, a de ontem, que começou com muitas resistências, vimos que lhe ocorreu um trauma, uma morte violenta que pode ter ajudado ou dado origem a isto,  verifiquem comigo.

“Vejo um túnel dentro de uma rocha, tem um homem muito, muito grande que me guia por este túnel, ele veste capa e parece atormentado. Existe uma cidade dentro da rocha, com casas feitas de blocos de pedra, não muito altas, com estátuas que parecem de lobos grandes; a cidade toda está envolta em nuvens negras e pesadas que me dão medo, é noite e não vejo ninguém” — Neste momento M.F pareceu ter-se dado conta de onde estava e chorando bastante falou com segurança, como que reconhecendo o lugar: “É um plano embaixo da Terra”.

A meu pedido continuou contanto sua estória: ”Eu moro lá, sou um homem diferente…como se fosse um extraterrestre, meu corpo éET2 disforme, os pés são diferentes, não tenho pelos e minha pele é branca e brilhosa, como se emitisse uma certa luminosidade, tenho grandes olhos escuros. Tinham outros iguais a mim habitando lá, mulheres, crianças, vivíamos em harmonia. Tudo ia bem até que houve uma explosão e tudo se acabou…foi muito rápido, não deu pra sentir nada, morri ali, todos nós morremos ali, não sobrou ninguém. Foi um vulcão…ele entrou em erupção.

Depois de morto pensei em como o equilíbrio, a paz e a harmonia são importantes nas relações sociais e pessoais. Como é importante dar valor a isto, manter e cuidar do equilíbrio. As coisas se completam, tudo tem uma continuidade, o equilíbrio precisa desta continuidade, é só por ela que se chega a algum objetivo”.

Terminamos a regressão e conversamos sobre como ela foi diferente, mas o que mais importou para M.F de tudo aquilo que lembrou, não foi  ser um “extraterrestre” ou o estranho mundo em que vivia, mas apenas as lições que ganhou com aquela vida, aonde se resumiram várias descobertas ligadas às suas dúvidas e questionamentos hoje. Foi-se, pensativa e cabisbaixa, cheia de lições para meditar.

Related Posts with Thumbnails
Palavras-chave:, ,

 

ARQUIVO MORTO

AOS MEUS PACIENTES

Nos últimos 10 anos tive pacientes dos mais diferentes tipos no meu consultório: tive os agradáveis, os difíceis, os que queriam resolver logo sua vida, os que queriam apenas aliviar suas dores, aqueles que não sabiam o que queriam, os curiosos; alguns jovens, corajosos; anciãos às portas da morte, pacientes espiritualizados, céticos, cínicos, com fé demais, com fé de menos, "loucos varridos", pacientes divertidos, prepotentes, alguns amargos; todos de alguma forma doentes... de tudo: do corpo... da alma... do coração; mas todos com algo em comum, a necessidade de dividir suas dúvidas e angústias com alguém, de encontrar uma saída para suas dores e formas de acertar o que estava errado em suas vidas.

(clique aqui para ler na íntegra.)

CONSULTAS EM MANAUS