quinta-feira, 05 dez 2019
Administração

Terapia de Vidas Passadas e Espiritismo: Qual a relação?

Uma confusão comum que encontro na curiosidade natural das pessoas sobre a TVP (terapia de vidas passadas) é a de que ela seria uma terapia “espírita” e, apesar de algumas escolas e sociedades de TVP até se dizerem espíritas, a TVP em suas bases não o é; outro motivo de tal alegação é a de que os fundamentos da terapia elegem a existência espiritual como fato, isso mais a situação dos terapeutas de vida passada normalmente acreditarem em reencarnação podem levar realmente à alguma confusão.

Evocando-espiritos

Na cabeça das pessoas é difícil imaginar o exercício da espiritualidade sem cair no terreno das religiões, normalmente uma coisa vem atrelada a outra, até devido à nossa formação ocidental cristã-judaico isso é algo corriqueiro. Desde a infância nossa formação espiritual se faz dentro de alguma religião da qual é muito difícil nos desligarmos disso depois até mesmo admitir pequenos conceitos filosóficos ou novas ideias que venham a arejar nossa fé já tão solidificada.

A título de esclarecimento devo dizer que a terapia de vidas passadas por conceito é agnóstica e não está vinculada a nenhuma religião, oficial ou não, se por crença ou preconceito alguém quiser lhe dar qualquer conotação religiosa estará incorrendo em equívoco ou erro. Ela está afeita, como todas as ciências psicológicas, a áreas científicas de estudo e é baseada em experimentações; foi criada na década de 1960 por um psicólogo americano chamado Morris Netherton, que nunca foi espírita, após várias experiências de cura que teve com pacientes regredidos a vidas passadas, ou pelos menos acreditou-se assim.

Outro nome de destaque na área, e que foi um dos primeiros divulgadores da TVP no mundo, é o também americano Brian Weiss, psiquiatra, diretor emérito do Mount Sinai Hospital, em Miami, foi professor de medicina em várias universidades americanas; a 25 anos era cético e descrente em qualquer tipo de existência espiritual do ser humano, como ele mesmo já declarou e findou tendo uma experiência, relatada no livro “Muitas vidas, muitos mestres”, com uma paciente ,que submetida à hipnose, involuntariamente findou regredindo à uma existência a 4000 anos, onde haviam iniciados os sintomas que a levaram ao tratamento. após essa experiência suas crenças mudaram e ele passou a trabalhar exclusivamente com a TVP.

Como se imagina, o espiritismo nunca foi religião de grande influência e penetração nos E.U.A, nem os citados profissionais desenvolveram suas técnicas baseados em nenhuma religião ou credo, o que aconteceu foi que à medida que a TVP foi chegando e sendo aplicada baseou-se na crença da reencarnação, até por motivos práticos, e isso para a maioria das pessoas é algo relacionado à religião. Em diversos países a terapia foi sofrendo a influência de sua cultura e aspectos religiosos e a sofrer críticas; no Brasil não foi diferente; assim conseguimos entender o motivo de algumas confusões que acontecem por aqui.

As semelhanças com o espiritismo são aquela crença na reencarnação e a intercomunicabilidade dos espíritos em algumas situações muito peculiares, como no intervidas, por exemplo, mas se formos querer tratar das bases filosóficas e religiosas da terapia podemos dizer também que a psicanálise é católica e isso não a desqualifica de forma nenhuma.

É natural que o espiritismo procure utilizar as provas de vida após a morte e reencarnação fornecidas pela terapia de vida passada para confirmar seus conceitos, assim como os católicos procuram confirmar sua crença pelo acontecimento de milagres, como podemos ver em artigo recente na  Isto É, mas isso não os torna semelhantes. Terapia e doutrina, milagres e catolicismo são instâncias diferentes do conhecimento e fé humanas, isso quer dizer que aquelas, mesmo que dividam crenças e conceitos, não tem privilégios sobre nenhuma religião, existem, inclusive, várias divergências dentro do que a doutrina espírita interpreta como válido na TVP, como já foi publicado em vários artigos. Todas as religiões tentam ser o caminho mais real e verdadeiro para Deus, resta a cada um aceitar a crença que mais lhe convier, e a terapia de vidas passadas não tem nada a ver com isso.

 

Related Posts with Thumbnails

1 Comentário

  1. Muito conciso o artigo. Parabéns e obrigado pela referência.
    Felicidades a você e a todos os leitores.

 

ARQUIVO MORTO

AOS MEUS PACIENTES

Nos últimos 10 anos tive pacientes dos mais diferentes tipos no meu consultório: tive os agradáveis, os difíceis, os que queriam resolver logo sua vida, os que queriam apenas aliviar suas dores, aqueles que não sabiam o que queriam, os curiosos; alguns jovens, corajosos; anciãos às portas da morte, pacientes espiritualizados, céticos, cínicos, com fé demais, com fé de menos, "loucos varridos", pacientes divertidos, prepotentes, alguns amargos; todos de alguma forma doentes... de tudo: do corpo... da alma... do coração; mas todos com algo em comum, a necessidade de dividir suas dúvidas e angústias com alguém, de encontrar uma saída para suas dores e formas de acertar o que estava errado em suas vidas.

(clique aqui para ler na íntegra.)

CONSULTAS EM MANAUS