sexta-feira, 23 ago 2019
Administração

Ilusões

Revendo algumas histórias e vendo algumas situações peculiares esta semana percebi que a vida pode ser realmente uma grande experiência ou uma grande ilusão, a depender da sabedoria de como a vivamos. Podemos buscar coisas e aprendizados que nos construam como pessoas completas, ricas de valores que irão nos propiciar uma felicidade real, ou pelo contrário podemos viver num mundo de ilusão, em busca de riquezas e valores materiais que em nada contribuirão em nosso crescimento pessoal, numa busca desenfreada por ilusões de prazer e glória que ao fim deixarão apenas dor e arrependimento.ilusão

Ao ler essas linhas o leitor pode achar que estou sendo piegas ou estar sonhando com um mundo que não existe na vida real, mas quero esclarecer, a quem pensar isso, que essas impressões são embasadas numa longa experiência pessoal e profissional, onde já fui testemunha de muitos casos onde de que buscar a satisfação apenas no mundo mundano leva, fatalmente, apenas à morte e destruição, infelizmente, de forma muito dolorosa.

Várias culturas e religiões milenares veem a existência como uma grande  ilusão, uma miragem criada por um Deus superior para nos propiciar aprendizado, o objetivo deste seria ensinar o homem a se libertar das coisas do mundo a alçar voo em direção à um “céu” de satisfações verdadeiras, nesta vida ou após ela. Essa tarefa normalmente se mostra ingrata e mal sucedida na grande maioria das vezes, como consequência do atraso moral da humanidade e de nosso próprio egoísmo, além de outras inúmeras outras falhas de caráter.

Parece que só a dor insuportável ou a experiência da morte pode nos ensinar que a vida pode e deve ter outro significado além de nossas mesquinhas satisfações. Muitas vezes essa falta de visão é fruto de uma grande ignorância a respeito de uma realidade maior, por outras simplesmente nos cegamos por não querer abrir mão dos prazeres do mundo, mas na grande maioria das vezes simplesmente não queremos mudar nosso jeito de ser e nossa história; isso vai ser praticamente uma loucura, pois muitas vezes intuímos ou simplesmente sabemos que as necessidades que nosso espírito tem são muito diferentes dos nossos desejos mundanos, e ainda assim insistimos em tomar o caminho errado.

Nenhuma ilusão é boa, por mais agradável que seja, no mínimo é perda de tempo, pois não representa a vida real; então todo o desfrute, sensação ou glória conquistadas no mundo perderão o sentido frente à derrocada do espírito. A frase dita por  Jesus, o Cristo, no Novo Testamento: “De que adianta ao homem ganhar o mundo e perder sua alma?”, pode ser lida também : “de que adianta ao homem ter vivido em ilusão se isso nada acrescentou ao seu espírito?”. Naquela hora em que , por qualquer motivo, o indivíduo se veja frente a ele mesmo, ou até de Deus, só e nu, da forma como foi criado, inequivocamente será confrontado com o que fez na realidade em prol de seu próprio crescimento espiritual, descobrindo que talvez tenho perdido tempo precioso e toda uma vida, inutilmente.

A única realidade verdadeira, é a de nossa existência eterna em contínua evolução, o resto são só miragens no deserto de nossa existência, se esquecermos disto caminhamos para o abismo. Para evitarmos o choque de se descobrir o que é real devemos parar para refletir e analisar sobre que resultado final há em se viver na ilusão, vamos descobrir que ela é vazia de significado, a não ser de satisfazer um Ego que se encanta com o que não é real, abdicando de suas prerrogativas mais nobres em troca de coisas e valores inferiores.

Related Posts with Thumbnails
Palavras-chave:, , ,

 

ARQUIVO MORTO

AOS MEUS PACIENTES

Nos últimos 10 anos tive pacientes dos mais diferentes tipos no meu consultório: tive os agradáveis, os difíceis, os que queriam resolver logo sua vida, os que queriam apenas aliviar suas dores, aqueles que não sabiam o que queriam, os curiosos; alguns jovens, corajosos; anciãos às portas da morte, pacientes espiritualizados, céticos, cínicos, com fé demais, com fé de menos, "loucos varridos", pacientes divertidos, prepotentes, alguns amargos; todos de alguma forma doentes... de tudo: do corpo... da alma... do coração; mas todos com algo em comum, a necessidade de dividir suas dúvidas e angústias com alguém, de encontrar uma saída para suas dores e formas de acertar o que estava errado em suas vidas.

(clique aqui para ler na íntegra.)

CONSULTAS EM MANAUS