sábado, 21 set 2019
Administração

Vozes

Foi preso esta semana em minha cidade um criminoso que estrupou mais de 15 mulheres, sendo duas delas em frente a seus namorados, o caso, como sempre ganhou grande repercussão e gerou revolta nas pessoas, aqui quero sair um pouco das questões o posicionamentos mais comuns que sempre acontecem quando ocorre algo assim e discutir o assunto à luz da espiritualidade e suas relações com as doenças mentais.maniaco do Eldorado

Não é a primeira vez que ao ler nos jornais ou ver nos noticiários os criminosos relatarem o que os levou a ferir ou matar outras pessoas vejo uma referência a “vozes que me ordenavam a fazer tal coisa..”, ou mais explicitamente dizer:  “Vai lá e mata” e coisas do tipo. Aos olhos dos profissionais de saúde mental mais ortodoxos isso pode parecer apenas alucinações e delírios de uma mente doente, mas para mim tem muito mais coisas aí envolvidas.

Vamos usar o exemplo ocorrido em minha cidade para ilustrar isso. Ao confessar seus crimes ele disse não sentir nenhum prazer quando estuprava as mulheres e que tinha apenas muita raiva delas e muitas vezes não consegue se lembrar do que faz, até por estar sob efeito de drogas. Não sabe explicar o motivo que o leva a praticar tais atos e acredita que seus problemas começaram na infância quando foi estuprado por um tio. Depois disso se tornou um criança rebelde e malcriada que além de tudo apanhava muito. Teve sonhos de ser professor, mas abandonou tudo para, aos 16 anos, entrar na marginalidade, findou sendo preso e na cadeia foi estripado de novo pelos seus colegas de cela. O chamado “Monstro do Eldorado” já foi condenado 3 vezes por roubo e estrupo além de ter uma enorme ficha criminal.

Mas será que o estrupo sofrido na infância é realmente o único motivo para esse rapaz ter se transformado nesse monstro? a vida na marginalidade o afetou de tal forma que ele tornou-se isso que é hoje? Acho que não, vou explicar porque. Só quem ignora completamente a realidade que transita invisível ao nosso redor pode achar que tudo o que temos na mente é fruto de influências do meio sócio-cultural-familiar em que nos encontramos. Essa realidade, normalmente não percebida por nossos sentidos, pode ser chamada de muitos nomes, desses vou utilizar o de espiritualidade para me referir ao que acontece naquele plano. Nesse plano circulam consciências que um dia já habitaram corpos de carne como o nosso, mas agora estão “desencarnadas” e tem um nível de existência em planos vibratórios mais sutis que não podem interagir com o nosso, pelo menos não fisicamente.

Já presenciei em muitas regressões situações onde as pessoas depois daquele “desencarne” decidem ir em busca de vingança ou de justiça, ou até em encontros mais ou menos fortuitos espíritos menos evoluídos, ainda muito cheios de raiva e ódio contra tudo e todos, se ligam a “encarnados” que estão cheios dos mesmos sentimentos e se afinam  e sintonizam com eles vibratoriamente. Dessas associações, desejadas ou não, surgem verdadeiras simbioses espirituais que vão ensejar resultados terríveis como o do “maníaco do Eldorado”, que se deixando influenciar por essas consciências extra-corpóreas, cometem crimes bárbaros.

Ao nível de nossas percepções extra-sensoriais todos nós recebemos continuamente informações e influências das mais diversas, tantos boas como ruins, vai de nós aceitarmos a que melhor nos aprouver. Como diz um antigo ditado: “Escolha a virtude e ela lhe acolherá, escolha os vícios e eles também lhe receberão de braços abertos”. Como ao nível espiritual não é possível afetar nosso plano fisicamente resta aos habitantes daquelas paragens tentarem nos afetar por outros meios, e normalmente com intenções pouco nobres. Assim semear pensamentos e intuições que vão nos levar a atos que podem resultar em muito sofrimento posterior é, para eles, uma boa forma de se desforrar da humanidade e do próprio Deus, que afinal lhes criou para sofrer, segundo sua própria miopia espiritual.

Basta prestarmos atenção aos noticiários para notarmos vários relatos parecidos ao daqui e a nós mesmos, que nos pegarmos em pensamentos daquele tipo, só que pelas nossas próprias opções não decidimos enveredar pelo crime ou atos menos dignos. O fato dele continuamente esquecer do que fez, independente de estar drogado ou não, e sua raiva infundada de todas as mulheres corrobora a certeza que tenho dessa influência espiritual que o subjuga e o deixa como uma marionete nas mãos daqueles irmãos menos esclarecidos.

Logicamente seus traumas na vida atual formataram e pioraram suas tendências negativas, mas se olharmos isto sob uma ótica mais ampla veremos que isso acontece normalmente quando esses fatos criam um link com traumas e sofrimentos de vida passada se potencializando. Assim o que somos sempre vai ser o resultado do que fomos e passamos com o que sofremos hoje e nossas escolhas, pois afinal nada pode mais que nossa vontade.

 

Related Posts with Thumbnails

 

ARQUIVO MORTO

AOS MEUS PACIENTES

Nos últimos 10 anos tive pacientes dos mais diferentes tipos no meu consultório: tive os agradáveis, os difíceis, os que queriam resolver logo sua vida, os que queriam apenas aliviar suas dores, aqueles que não sabiam o que queriam, os curiosos; alguns jovens, corajosos; anciãos às portas da morte, pacientes espiritualizados, céticos, cínicos, com fé demais, com fé de menos, "loucos varridos", pacientes divertidos, prepotentes, alguns amargos; todos de alguma forma doentes... de tudo: do corpo... da alma... do coração; mas todos com algo em comum, a necessidade de dividir suas dúvidas e angústias com alguém, de encontrar uma saída para suas dores e formas de acertar o que estava errado em suas vidas.

(clique aqui para ler na íntegra.)

CONSULTAS EM MANAUS