domingo, 15 dez 2019
Administração

Humildade

Fiquei surpreso esta semana ao ouvir um programa de rádio onde os apresentadores se perguntavam o que é a humildade, a minha surpresa veio da grande ignorância dos debatedores sobre o que seria ou qual a definição da palavra humildade. Notei que alguns confundiam-na com servilismo, ou relacionava-na a ser simplório, nenhum na realidade pensou ou chegou à conclusão de que ela seria uma qualidade, mais relacionada à traços nobres de caráter. humildadeNossas qualidades e defeitos não andam sozinhas, tem sempre a companhia de outras características que lhes são afins ou mesmo lhes dão origem. No caso da humildade temos por sua companhia por exemplo, o altruísmo, a caridade, a abnegação, a resignação, a bondade e a mansuetude. Já seu oposto o orgulho é pai de diversos problemas de caráter, pois faz com que o indivíduo de sinta mais especial ou melhor que seus semelhantes, muitas vezes se sentindo merecedor de regalias ou de um tratamento diferenciado por parte de seus pares..

Isso não é muito difícil de entender, imaginemos quantas pessoas conhecemos que são humildes, e com isso não quero dizer pobres, nem simplórias, nem inseguras, mas aquelas que tratam a todos com respeito e sem preconceitos ou não as deixam em situações vexatórias ou humilhantes, reconhecendo em cada um ser semelhante.Veremos que esse tipo de pessoa além de se relacionar melhor com seus pares, tem menos conflitos, vivendo uma vida mais pacífica e prazerosa, já o oposto, daquelas que abdicaram de qualquer humildade em prol do orgulho por serem mais inteligentes, bonitas, ricas ou que se julgam com alguma qualidade especial ou ainda modelos de comportamento para os outros, vivem uma vida mais infeliz e cheia de interlúdios. Vou dizer porque.

Normalmente são ingratas, por se acharem sempre no direito de merecer mais do que dar, inquietas, para estar sempre na dianteira das iniciativas, depressivas às vezes, por não terem da vida aquilo que acham que mereciam, agressivas, intolerantes ou violentas, por não suportarem a menor contrariedade às suas vontades e caprichos, assim vão afastando as outras pessoas, ou permanecem ao seu lado somente aquelas que tem algum outro interesse nelas. Findam terminado a vida sós, completamente carentes de afeto ou carinho verdadeiro, de conflito em conflito, sempre insatisfeitas com o mundo e consigo mesmas. Fazer o contrário por vezes é difícil, mas necessário, pois o preço da solidão é terrível, o reconhecimento social não basta para satisfazer todas as nossas necessidades, nem a complacência de que tem que nos aturar; uma hora isso tudo acaba, e nos pegamos sem afetos verdadeiros que são o verdadeiro alimento de nosso espírito.

Se fizermos uma recapitulação da história da humanidade veremos que a maior parte dos homens e mulheres que moldaram o mundo como ele é hoje, principalmente no tocante às religiões e à fé, tinham essa grande qualidade da alma e, apesar das dificuldades s tiveram uma vida feliz e atingiram a realização pessoal plena.  Temos no exemplo de Jesus Cristo, Buda, Maomé, Gandhi, Confúcio e milhares de outros profetas de todas as religiões um exemplo maior de abnegação e humildade em relação à humanidade que transcenderam seu tempo e sua localização geográfica deixando-nos lições essenciais ao nosso bem-estar e felicidade. Já os orgulhosos também conhecemos: Nero, Hitler, Júlio Cézar, Átila, Genghis Khan, etc. O que foi que essas pessoas levaram da vida? será que foram felizes? como foi que terminaram sua vida? Se verificarmos as respostas veremos que não é tão difícil escolher afinal, é só querer não ser só e ser feliz.

Related Posts with Thumbnails

 

ARQUIVO MORTO

AOS MEUS PACIENTES

Nos últimos 10 anos tive pacientes dos mais diferentes tipos no meu consultório: tive os agradáveis, os difíceis, os que queriam resolver logo sua vida, os que queriam apenas aliviar suas dores, aqueles que não sabiam o que queriam, os curiosos; alguns jovens, corajosos; anciãos às portas da morte, pacientes espiritualizados, céticos, cínicos, com fé demais, com fé de menos, "loucos varridos", pacientes divertidos, prepotentes, alguns amargos; todos de alguma forma doentes... de tudo: do corpo... da alma... do coração; mas todos com algo em comum, a necessidade de dividir suas dúvidas e angústias com alguém, de encontrar uma saída para suas dores e formas de acertar o que estava errado em suas vidas.

(clique aqui para ler na íntegra.)

CONSULTAS EM MANAUS