sexta-feira, 23 ago 2019
Administração

Toda forma de poder

Estas últimas semanas tive contato com tipos bem diferenciados de pessoas de políticos importantes a golpistas profissionais, de milionários endinheirados a mulheres e homens que usam de beleza e sedução para conseguirem o que querem, também passaram perto de mim, em ambientes sociais, de traficantes a colunistas; em todos observei uma coisa em comum, o uso de alguma forma de poder sobre e para seus semelhantes.

poderUsado com mais ou menos consciência, de forma velada ou acintosa, esse poder confere um status diferenciado a quem o tem, ao mesmo tempo em que estimula o orgulho normalmente existente em cada um, alguns o usavam com evidente prazer, outros pareciam não se dar conta de sua força, mas todos se alguma forma já o tinham buscado para conquistar algo de seus sonhos.

O problema com essa busca de poder é o mesmo que com todas as outras buscas por miragens de felicidade, quando se obtém o que quer se descobre que apenas ele não é capaz de nos fazer feliz, vou dar alguns exemplos daqueles a que me referi, baseado em fatos que são do meu conhecimento.

O milionário, que tem o que a maioria considera detentor do motor da felicidade material, o dinheiro, e pode comprar tudo o que quiser, é portador de uma depressão severa, dado a crises de melancolia, perdeu um casamento com a mulher que mais amou na vida por isso e busca reconciliação até hoje com ela.

O político importante vem de vários relacionamentos fracassados e tem problemas familiares que lhe pesaram muito na vida, afora viver cercado de bajuladores sem nenhuma amizade verdadeira. O homem e a mulher que são belos e sedutores, dissimulados, vivem de manipulações em relacionamentos criados apenas pela necessidade financeira ou de ascensão social, não conseguem paz em nenhuma relação vivendo de traições e mentiras.

O traficante apesar de rico e poderoso, assim como o golpista profissional são párias sociais, ficando o tempo todo isolados com pouquíssimos contatos sociais, nos quais as pessoas procuram se evadir o amis rápido possível. O colunista influente vive uma vida aparentemente glamorosa de festas e viagens, mas parece desencantado da vida e das pessoas, destilando isso em diálogos que entristecem pela falta de esperança no ser humano e refletem um mundo interior infeliz.

De que adianta seu poder então? e qual seria o poder verdadeiro? valeu a pena tentar busca-lo com tanta determinação e vontade? acho que não, mas admito que é muito difícil fugir dessa armadilha que a vida nos impõe, pois sempre necessitamos de reconhecimento e aprovação do próximo, dificilmente podemos imaginar o que seria ser feliz sem grandes conquistas ou realizando muitos sonhos, que normalmente incluem aquelas miragens a que me referi.

Necessário de faz que façamos uma reflexão sobre nossas conquistas e o que queremos de verdade para nossa vida, se ser feliz é realmente a conquista de algo fora ou dentro de nós e se o poder sobre os outros é realmente o poder sobre ser feliz no mundo. Caso consigamos algumas respostas possivelmente esse poder deixará  de ter tanta importância e conseguiremos o poder sobre quem realmente interessa, nós mesmos, o qual muitas vezes não dispomos.

 

Related Posts with Thumbnails
Palavras-chave:, , ,

 

ARQUIVO MORTO

AOS MEUS PACIENTES

Nos últimos 10 anos tive pacientes dos mais diferentes tipos no meu consultório: tive os agradáveis, os difíceis, os que queriam resolver logo sua vida, os que queriam apenas aliviar suas dores, aqueles que não sabiam o que queriam, os curiosos; alguns jovens, corajosos; anciãos às portas da morte, pacientes espiritualizados, céticos, cínicos, com fé demais, com fé de menos, "loucos varridos", pacientes divertidos, prepotentes, alguns amargos; todos de alguma forma doentes... de tudo: do corpo... da alma... do coração; mas todos com algo em comum, a necessidade de dividir suas dúvidas e angústias com alguém, de encontrar uma saída para suas dores e formas de acertar o que estava errado em suas vidas.

(clique aqui para ler na íntegra.)

CONSULTAS EM MANAUS