quinta-feira, 20 jun 2019
Administração

Amar não significa nunca contrariar

É impressionante como é comum certas características se apresentarem nas pessoas, principalmente naqueles defeitos que afetam os relacionamentos umas com as outras, um delas é não tolerar ser contrariado, outra é querer tudo do seu jeito ou modo apenas, isso posto nas relações pessoais vai ser extremamente destrutivo. É habitual virem no meu consultório pessoas com problemas de relacionamento, muitas vezes causados pelas características que mencionei acima. Esses relacionamentos não estão ameaçados pelo desamor ou quaisquer tipo de esfriamento na relação, é justamente o contrário, a relação está se esfriando porque ninguém mais se entende naquele lar. Vamos chamar essas características de temperamento, que atravancam as relações, de “defeitos” daqui para a frente, no sentido em que seriam alterações ou disfunções no caráter ou temperamento das pessoas que ameaçam sua sobrevivência emocional, familiar e social.

Quando os pacientes me procuram em busca de terapia é porque ainda existe amor e medo pelas perdas que podem sofrer se não se adequarem e não conseguirem melhorar seus relacionamentos, caso contrário simplesmente poderiam abandonar seus parceiros para iniciar uma nova vida. Observo em muitas pessoas, em maior proporção nas mulheres, algo confuso no seu entendimento a respeito de seus parceiros, muitas consideram que o fato de seus amantes, maridos ou companheiros por vezes lhes contrariarem significa que não a estão amando como deveriam, pois se “amassem de verdade”, não agiriam assim. Isso leva a pensar que para esse tipo de  pessoa quem ama deve ter obediência completa e assim se tornam verdadeira(o)s tiranas da relação, muitas vezes sem o perceber, com a desculpa de que apenas “querem ser amadas”.briga de casal

Ora, pensemos juntos a respeito disto, será que é possível a alguém ser feliz num relacionamento assim? como você se sentiria se só a vontade e gostos do outro prevalecesse? se sua vida se resumisse sempre a buscar a satisfação e aprovação do seu companheiro(a), quanto tempo você aguentaria isto? Se você achou que para todas essas questões a resposta é que essa situação não seria sustentável por muito tempo, por mais amor que você dedique a alguém, e que fatalmente uma hora iria cansar e alguém teria que mudar, bem vindo à humanidade. O problema é que as pessoas não notam que isso está acontecendo com elas e a impressão que fica é de quem sempre vai estar falhando é o outro.

Nas minhas pacientes e na vida o que vejo acontecer, quando a outra parte simplesmente não quer mais aceitar o mando do outro, é uma queixa comum tipo “você não me ama mais (ou não como deveria…),”, “não consigo me entender com meu marido, porque ele não faz o que quero, acho que ele deixou de me amar”, “Meu parceiro deve ter arranjado outra, porque não faz mais nada do que desejo”. 

Pequenos comentários que soam como críticas e às vezes até ofensas pessoais, mais a falta de diálogo que ajuda a piorar tudo, principalmente nas mulheres, por serem mais intuitivas e sensíveis. Fica a impressão, nestes casos, que os parceiros deveriam saber claramente os motivos das mágoas e das discórdias, o que na acachapante maioria das vezes não acontece. Lógico que se a relação já está abalada e o parceiro(a) realmente já está envolvido com outra pessoa isso vai distancia-lo e torna-lo mais rebelde, mas, muitas vezes não é isto que está acontecendo, simplesmente o companheiro(a) pode ter se cansado de ser servil e visto que estava abdicando de sua felicidade “para fazer o outro feliz”, que é um compromisso cobrado também habitualmente e muito temerário, pois se mal conseguimos fazer a nós mesmos felizes, que nos conhecemos, imagine o outro.

Como diz o título deste post, amar não significa nunca contrariar, amar é querer bem na mais elevada instância do ser, é sentir-se feliz pela felicidade do outro e conviver tentando ter uma vida de paz e plenitude para AMBOS, e não simplesmente cobrar submissão, servilidade e abdicação completa do outro para si, isso é puro egoísmo e o egoísta normalmente está cultivando solidão a qual ao final vai levar a reflexões do tipo “não consigo ninguém que e ame”. Caso não identifiquemos estes pequenos desvios de caráter vamos ter muitas dificuldades na vida, e não vai adiantar se esconder atrás de justificativas românticas e fantasiosas, a vida pode ser dura e cruel para quem não sabe viver, mudemos para não sofrer mais à frente.

Related Posts with Thumbnails

 

ARQUIVO MORTO

AOS MEUS PACIENTES

Nos últimos 10 anos tive pacientes dos mais diferentes tipos no meu consultório: tive os agradáveis, os difíceis, os que queriam resolver logo sua vida, os que queriam apenas aliviar suas dores, aqueles que não sabiam o que queriam, os curiosos; alguns jovens, corajosos; anciãos às portas da morte, pacientes espiritualizados, céticos, cínicos, com fé demais, com fé de menos, "loucos varridos", pacientes divertidos, prepotentes, alguns amargos; todos de alguma forma doentes... de tudo: do corpo... da alma... do coração; mas todos com algo em comum, a necessidade de dividir suas dúvidas e angústias com alguém, de encontrar uma saída para suas dores e formas de acertar o que estava errado em suas vidas.

(clique aqui para ler na íntegra.)

CONSULTAS EM MANAUS