terça-feira, 17 set 2019
Administração

O daimista temeroso

As coisas realmente não acontecem por acaso, posso com frequência perceber isso, no que Jung chamava de sincronicidade. Esta semana, por exemplo, recebi um novo paciente, C., 60 anos, juiz aposentado, usuário do Daime e com um problema interessante: ele tem medo do que pode encontrar ou vir a conhecer com o uso do chá, sente que está num momento de transformação espiritual e isso lhe assusta muito. Se isto houvesse me ocorrido algumas semanas atrás talvez eu não soubesse muito bem como manobrar com alguém que faz uso da ayahuasca, ou chá do Daime, mas conforme relatei em posts anteriores tive uma experiência com o uso daquela substância em uma sessão da União do Vegetal e hoje posso dizer que sei do que se trata.

Na sua busca espiritual que mistura elementos do catolicismo e xamânicos do Daime, ele tem encontrado vários obstáculos, desde problemas familiares até suas próprias inseguranças, além daDaime dificuldade em administrar suas próprias mudanças, mas nada parece abalar sua fé, por mais que sofra pelos próprios medos e desafios não abdica de suas melhoras no campo psíquico e espiritual.

É interessante anotar que ele foi alcóolatra por muitos anos e a 2 anos atrás conseguiu largar o vício, depois de haver parado começou a usar o daime, mas tem dificuldades de atenção e cognição perceptíveis, de certo pelos danos neurológicos que o álcool lhe causou, mas nada de tão grave que impeça a terapia. No passado foi muitas vezes entregue à raivas e descontroles,   hoje ainda comete atos dos quais se arrepende depois,  principalmente no âmbito familiar e tem dificuldades muito grandes para lidar com uma filha adolescente. Está sofrendo demais com essa incapacidade de exercer seu papel de pai satisfatoriamente e isso o tem feito se apegar à sua religiosidade para tentar superar isto sem sucesso. Suspeita de estarem, ele a mulher e a filha de alguma forma “doentes do espírito”.

Como podemos observar somente a fé e a religião não são suficientes para resolver nossos problemas mundanos e até espirituais, é preciso uma sólida formação familiar, laços amorosos entre os parentes e muita compreensão nos relacionamentos para que estes fluam sem grandes conflitos e sofrimentos. Diferenças sempre vão haver entre as pessoas, principalmente pais e filhos, pela diferença de valores de suas gerações, mas nada que uma boa dose de compreensão não resolva. Suas sessões estão sendo basicamente de aconselhamento, pelas dificuldades que ele me apresenta, e uma das orientações que lhe dei foi o de busca por algum tratamento espiritual, para que sua situação no lar melhore e possamos dar prosseguimento à terapia normalmente, vamos aguardar pela evolução dessa situação.

Related Posts with Thumbnails

 

ARQUIVO MORTO

AOS MEUS PACIENTES

Nos últimos 10 anos tive pacientes dos mais diferentes tipos no meu consultório: tive os agradáveis, os difíceis, os que queriam resolver logo sua vida, os que queriam apenas aliviar suas dores, aqueles que não sabiam o que queriam, os curiosos; alguns jovens, corajosos; anciãos às portas da morte, pacientes espiritualizados, céticos, cínicos, com fé demais, com fé de menos, "loucos varridos", pacientes divertidos, prepotentes, alguns amargos; todos de alguma forma doentes... de tudo: do corpo... da alma... do coração; mas todos com algo em comum, a necessidade de dividir suas dúvidas e angústias com alguém, de encontrar uma saída para suas dores e formas de acertar o que estava errado em suas vidas.

(clique aqui para ler na íntegra.)

CONSULTAS EM MANAUS