quarta-feira, 26 fev 2020
Administração

“Não me arrependo de nada do que fiz”

Li essa frase nesta semana numa revista daquelas que tratam sobre televisão e da vida dos artistas, ela foi dita, segundo a revista, por uma das mais famosas atrizes do Brasil, mas isso na realidade não importa, estou usando o exemplo apenas para ilustrar uma coisa muito comum de se ouvir falar; já perdi a conta do numero de vezes em que ouvi ou vi alguém dize-la, aparentemente para mostrar como se sente a respeito de suas próprias ações durante o decurso de sua vida e fiquei preocupado.

Essa frase, de conteúdo aparentemente inócuo, na realidade esconde uma posição extremamente perigosa, além de denotar certos traços de caráter que vão dificultar a caminhada do indivíduo na vida atual e de certo nas posteriores. Inicialmente posso dizer que essa posição perante a vida e seus próprios atos é extremamente orgulhosa, é como se o indivíduo dissesse assim: “Eu só acertei na vida e todas as decisões que tomei foram corretas me trazendo ao momento atual pleno de realização e felicidade”, sinceramente duvido muito que exista alguém encarnado no planeta Terra que possa se colocar em tal posição.

Outra coisa que transparece nessa frase é a preocupação com o que os outros vão pensar a nosso respeito e de como levamos nossa vida até o presente, fica claro que a pessoa não quer admitir nenhuma falha para não ser mal avaliada pelos seus pares e assim ser reconhecida como alguém admirável.

arrependimentoPense comigo, será que existe alguém que não tenha jamais magoado alguém, mesmo sem querer, ou que tenha escolhido a pessoa errada para se relacionar e sofrido por isso, ou mesmo errado em escolher uma carreira profissional que durante um período de sua vida só lhe trouxe frustrações? Estou usando exemplos dos mais comuns, mas poderíamos aprofundar esse tema e ir de encontro a outros problemas do cotidiano que só pensamos na hora das dores e perguntar ao pretenso “sem arrependimentos” quantas vezes se pegou repensando que deveria ter cuidado mais de sua saúde, de ter ido mais à igreja ou até cuidado melhor de seu cachorro. Todos bons motivos para se arrepender.

Pensando assim dá pra gente perceber que é mais fácil ter do que se arrepender do que o contrário. Analisemos.

Para repensarmos qualquer ação ou pensamento que porventura esteja nos causando sofrimento temos que inicialmente reconhece-la como errônea, má ou pelo menos inútil, para isso é necessário que tomemos de uma certa dose de humildade e sabendo-nos no erro corrijamos o rumo em direção a objetivos mais saudáveis. Esse reconhecimento é o que está muitas vezes na origem do entender aquilo que nos faz feliz ou infeliz, e creio que todos concordamos que ninguém vai insistir em atitudes que lhe façam infeliz indeterminadamente por gostar de sofrer, afinal na maioria não somos masoquistas. Assim é que se inicia o que chamamos de “arrependimento”.

Quando o espírito compreende as imperfeições e falhas de suas atitudes e de sua personalidade que lhe impedem  de ser feliz pode recolocar sua vida em outra direção e reformar sua personalidade para que ela seja mais harmônica com o universo em que se situa. Essa consciência é necessária para que a evolução espiritual se processe, caso contrário ficaríamos indefinidamente num estágio tal em que julgaríamos nossas atitudes sempre como corretas e como tal, sem necessitar de correções ou reformas, continuaríamos a cometer os mesmos erros que cometíamos em nossa infância espiritual, da qual mal saímos. Os grandes vilões da história da humanidade morreram também achando que estavam corretos em seus conceitos, vide Hitler, Stálin, Atila, Genghis Khan e outros mais anônimos.

Somente o orgulho e a insegurança podem justificar tal tipo de atitude, a do não arrependimento, que em última análise vai se tornar uma prisão sem grades para o próprio espírito endividado, que de certeza sofreu e já fez sofrer, nas muitas vidas que passou, uma infinidade de irmãos mais ou menos arrependidos e talvez também nada dispostos a se arrepender também.

Vergonhoso não é ter errado, pois que isso é absolutamente humano, mas sim continuar errando, e é isto que finda acontecendo quando não nos arrependemos do mal feito e não mudamos nossas atitudes. Possivelmente por isso muitas religiões tem entre seus preceitos o arrependimento como ponto de início da transformação do crente para o contato com Deus de cada fé; essa é uma sabedoria milenar que muitas vezes esquecemos quando vamos frequentar nossos cultos, missas ou quaisquer outro tipos de comunhão religiosas.

O arrependimento é uma bênção que refrigera o coração do espírito que muitas vezes está transtornado pela culpa e pelo remorso, afigurando um futuro de esperança ao espírito faltoso, fazendo-o ter a certeza de que nunca há para Deus falta que seja imperdoável, desde que nos perdoemos primeiro, reconhecendo nossas faltas e buscando melhorar, esse é o caminho do  ARREPENDIMENTO.

Related Posts with Thumbnails
Palavras-chave:, , ,

 

ARQUIVO MORTO

AOS MEUS PACIENTES

Nos últimos 10 anos tive pacientes dos mais diferentes tipos no meu consultório: tive os agradáveis, os difíceis, os que queriam resolver logo sua vida, os que queriam apenas aliviar suas dores, aqueles que não sabiam o que queriam, os curiosos; alguns jovens, corajosos; anciãos às portas da morte, pacientes espiritualizados, céticos, cínicos, com fé demais, com fé de menos, "loucos varridos", pacientes divertidos, prepotentes, alguns amargos; todos de alguma forma doentes... de tudo: do corpo... da alma... do coração; mas todos com algo em comum, a necessidade de dividir suas dúvidas e angústias com alguém, de encontrar uma saída para suas dores e formas de acertar o que estava errado em suas vidas.

(clique aqui para ler na íntegra.)

CONSULTAS EM MANAUS