sexta-feira, 23 ago 2019
Administração

A dor e a doença

doençasA doença, como a dor, são coisas necessárias ao nosso atual estágio de desenvolvimento, por mais que isso seja incompreensível para alguns, que entendem que a existência só seria justa se o fosse sem dor alguma. Pura ignorância, nossa recusa à dor reside no fato de não a entendermos; para expurgarmos certas energias antigas incrustadas em nosso espírito, no nosso inconsciente, é necessário que existam meios para isso, então a dor e a doença são formas de expressar e liberar aquelas energias.

As doenças de que falarei neste post não são aquelas que tem sua causa em fatores exógenos como traumas, viroses, degenerações diversas causadas por vícios ou intoxicações e patologias que afetem diretamente o sistema nervoso, mas sim daquelas incutidas em nossos espíritos e que são transmitidas vida após vida, consequências de atos e atitudes mentais moralmente reprováveis e facilitadoras da implantação de males diversos.

Deste ponto de partida podemos dizer que temos que uma consciência individual, reflexo da consciência cósmica criadora, que cria para si mesma, por remorsos e culpas por delitos pretéritos, mecanismos de auto-reparação que irão se traduzir em dor ou sofrimentos futuros, e, caso o espírito ainda não tenha a condição ou esclarecimento para ajudar-se naquelas expiações, isso poderá ser feito por espíritos mais adiantados.

A dor é um estímulo que nos impele rumo a outros conceitos e soluções que de outra forma não seriam buscados ou encontrados, pelo contrário, talvez ficássemos paralisados na vida em situações que não ajudariam em na da nosso crescimento espiritual.

Culpas e remorsos afetam o equilíbrio da energia espiritual e perturbam os centros cerebrais e nervosos, alterando seus delicados constituintes mediante altas cargas de emoção descontrolada que danificam os complexos orgânicos e emocionais.O bombardeio contínuo de pensamentos e atitudes comportamentais de baixo teor, frutos de mentes desgovernadas e indisciplinadas, fixadas no gozo das paixões mais primitivas, desarticula as engrenagens do períspirito que tem na base de sua sustentação um teor energético delicado e vai refletir-se no corpo e na emoção com enfermidades das mais diversas

O remorso vai marcar a consciência, que desarmonizada consigo mesma, desarmonizará todo o ser, pois a mente doente escraviza o corpo através do sistema nervoso, afetando-o de forma inequívoca, inclusive hoje já temos um ramo da psicologia, a psicossomática, que trata justamente dessas influências. Assim certas predisposições, oriundas de desajustes das mais variadas naturezas,  irão resultar em doenças que se manifestarão no organismo física e, principal, mentalmente.

Uma coisa que vejo intimamente relacionada a remorso é a culpa e, posso relatar de minha experiência com algumas dezenas de regressões e de várias lembranças de mortes, nunca vi ninguém que acuse o espírito de erros, crimes ou delitos, nada que as julgue de fora para dentro; é a nossa própria consciência, desperta após ser libertada dos liames da carne que se encarrega de  auto examinar-se e, com frequência, impõe-se o dever de resgatar programando roteiros e ajustando expiações mais ou menos apropriadas às próximas vidas.

Quando o tempo se vai, e o mal causado não pode ser reparado, o prejuízo causado a si e ao outro ou à vida em geral, transfere-se para outra existência na forma de culpa, impedindo o espírito de ser feliz, pois lhe faz saber não ter esse direito, chegando inclusive a acusar-se muitas vezes, na nova vida, sem saber do quê. Em decorrência desse processo de inquietação graves compromissos de ordem moral dão origem à transtornos neuróticos, psicóticos e outros das mais variadas formas e se tornam estados perturbadores do comportamento.

Por mecanismo similar, a reverberação inconsciente dos atos nefastos e crimes cometidos contra a vida, cedo ou tarde produzirá um efeito mental devastador que afetará profunda e dolorosamente seu autor. Só que essas manifestações podem não ocorrer na vida que as produziu, por isso muitas vezes vemos injustiças e monstruosidades sendo cometidas sem aparente reparação, sem notarmos a legião de dementados e doentes da alma e sofredores de diversos matizes à nossa volta que foram, justamente, os criminosos ou irresponsáveis de ontem, pois para a justiça divina nenhum mal fica sem reparação e nenhum ato sem consequência.

Para aqueles doentes surgem, do plano espiritual, as alucinações produzidas pela cobrança da própria consciência, em cenas de violência e sofrimento que passarão a reproduzir-se constantemente atormentando a criatura; para espíritos reencarnados com esse tipo de comprometimento a consequência será todo tipo de perturbação mental acompanhadas daquelas alucinações, depressões inexplicáveis, delírios, fobias, etc.

Fator desconhecido para as linhas psicoterápicas ortodoxas, mas profundamente incrustado na origem de muitas doenças é o que chamamos de processos obsessivos oriundos da influência de “presenças” espirituais que normalmente estão ao nosso redor. Isso ainda não é levado a sério pelas ciências psi atuais por remeter ao misticismo antigo, às superstições e aos males causados pelas religiões ao longo dos últimos séculos, mas não pode ser apenas deixado de lado por causa disso e nem legado apenas aos cuidados dos “cuidadores do espírito” ou religiosos, pelo risco de não se conseguir tratar adequadamente quem precisa.

Como a assunto é muito extenso prefiro explora-lo com mais profundidade mais à frente, o que posso já adiantar é que aqueles que foram nossas vítimas no passado também são espíritos imortais como nós e , se acham no direito de cobrarem seus direitos aviltados, dívidas de sangue e terem suas devidas vinganças. Como as diferenças entre os planos dimensionais, espiritual e material, são muito grandes, essas vinganças só podem ser conseguidas por via indireta ou por subterfúgios não menos dolorosos que a desforra física.

Normalmente após se inteirarem dos pontos vulneráveis de seus inimigos, espíritos que no passado lhes infringiram tantas dores, podem agir de várias formas diferentes, afetando o corpo físico, mental e espiritual com meios e substâncias próprias de seu plano. Essas ações, explicando de forma superficial, irão modificar desde a essência dos próprios pensamentos até a própria ligação corpo-espírito da vítima, isso vai se refletir no sistema nervoso e endócrino com sobre-excitações ou inibições diversas dando lugar a alterações nos sentimentos e na razão.

Como podemos notar na origem das doenças, e falamos de apenas uma faixa do espectro, temos uma enorme variedade de fatores que se influenciam e se sobrepõe, o importante é notarmos que existem causas que não são apenas físicas para essas doenças e que se forem entendidas e esclarecidas pelos responsáveis pelos tratamentos e pelos próprios doentes, abrirão novas possibilidades para o alívio de muitas dores que assolam a humanidade hoje.

Related Posts with Thumbnails

2 Comentários

  1. De certeza Lorena, pois o sofrimento nada mais é do que o meio pelo qual nosso espírito aprende e evolui, quando infringimos as leis divinas ou nos rebelamos contra a vida é por que ainda somos muito ignorantes, ou se preferir, involuidos.

  2. duvida

    quem sofre menos é mais evoluido?

 

ARQUIVO MORTO

AOS MEUS PACIENTES

Nos últimos 10 anos tive pacientes dos mais diferentes tipos no meu consultório: tive os agradáveis, os difíceis, os que queriam resolver logo sua vida, os que queriam apenas aliviar suas dores, aqueles que não sabiam o que queriam, os curiosos; alguns jovens, corajosos; anciãos às portas da morte, pacientes espiritualizados, céticos, cínicos, com fé demais, com fé de menos, "loucos varridos", pacientes divertidos, prepotentes, alguns amargos; todos de alguma forma doentes... de tudo: do corpo... da alma... do coração; mas todos com algo em comum, a necessidade de dividir suas dúvidas e angústias com alguém, de encontrar uma saída para suas dores e formas de acertar o que estava errado em suas vidas.

(clique aqui para ler na íntegra.)

CONSULTAS EM MANAUS